// //

8 passos simples para criar um blog de sucesso ainda hoje


Blogs são excelentes canais de venda e com a disseminação da metodologia inbound, são centrais para quem quer criar um negócio na internet e fazê-lo crescer.


1 – Faça o registro de um domínio
O primeiro passo para você criar um blog profissional e começar a ganhar dinheiro com ele é registrar um domínio.

O domínio nada mais é do que o nome do site, o caminho que seu leitor vai percorrer para chegar até ele.

Você pode criar um domínio “.com.br” de forma muito simples. Basta acessar o registro.br, pesquisar se o nome que você quer está ou não registrado, pagar uma taxa anual de R$ 40.

Existem domínios personalizados para profissões (jornalistas .jor ou médicos .med) e até para as principais capitais do país.

Se você deseja criar um .com ou .net ou com qualquer outra terminologia, a dica é acessar o GoDaddy e fazer o registro por lá.

O site cobra a partir de R$ 8 para fazer este tipo de registro de domínio.

2 – Agora é preciso hospedar o site
Com o registro do domínio em mãos, está na hora de buscar um bom servidor. É aí que a tarefa pode ficar um pouco mais complicada.

Isto porque há uma infinidade de servidores com mensalidades que variam de R$ 9 a mais de R$ 500, dependendo do tipo que você escolhe.

A hospedagem padrão é a hospedagem compartilhada. Nela, o seu blog vai dividir espaço com outros sites e blogs em uma mesma máquina.

A vantagem é o custo baixo e é uma boa se você imagina que não vai gerar um volume significativo de acessos e visitas simultâneas em um primeiro momento.

Na outra ponta, existem os servidores dedicados – quando você contrata uma máquina com uma determina especificação só para o seu site – eles seguram um número maior de acessos e suportam estruturas de programação mais complexas. Por outro lado, são bem mais caros.

A dica é: procure um servidor especializado em WordPress. Como este texto vai te ensinar a trabalhar com a solução, é interessante que seu servidor seja especializado nela.

O WordPress usa uma quantidade considerável de memória. Ter uma máquina configurada especialmente para ele vai fazer a diferença na escalabilidade do seu blog.

Neste texto, você encontra um comparativo de servidores e um bom detalhamento sobre a diferença de cada um deles.

3 – Configure o seu servidor
Quando você registra o domínio, você precisa apontar o seu endereço (DNS) para o servidor.

Alguns servidores fazem isso para você como parte do serviço do plano, outros cobram um valor. Mas não é algo particularmente difícil de fazer. Para isso, basta cadastrar o endereço do servidor no seu serviço de domínio.

O tempo de propagação dura um dia. Enquanto o domínio propaga, seu servidor provavelmente vai te dar um endereço temporário, onde você pode ver como seu site vai ficar.

Você também precisa instalar o WordPress. Hospedagens especializadas em wordpress fazem isso ao clicar de um botão.

Caso o tipo de hospedagem que você contratou não tenha essa opção, você precisa baixar o arquivo do WordPress, instalar no seu FTP (diretório do seu site) e configurar um banco de dados.

Este guia te ensina a instalar WordPress no servidor. É trabalhoso, mas não é nada difícil.

4 – Escolha um tema e deixe seu blog charmoso
Com o WordPress instalado, um servidor contratado e um domínio próprio, o próximo passo é escolher o layout do seu blog.

Há infinitas possibilidades e é algo que depende basicamente de duas coisas: seu senso estético e sua capacidade de investir.

Na internet você encontra temas gratuitos e temas pagos. Eles são layouts pré definidos que basta você instalar e personalizar.

A diferença entre os gratuitos e os pagos é que, no segundo, há opções mais fáceis de customização, além de elementos que podem deixar seu site muito bonito. Fora que há, em geral, um melhor suporte técnico.

Os temas premium custam entre US$ 20 e US$ 60 e podem ser comprados no Themeforest, um market place específico para isso.

Nos últimos anos, tem ficado cada vez mais populares os temas “drag and drop”. São soluções que você compra para montar um site utilizando o mínimo de programação possível.

O Divi da Elegant Themes é o principal deles.

As soluções gratuitas, em geral, exigem que você saiba um pouco de programação para a personalização delas.

Há temas gratuitos muito bons e tutoriais na internet que te ensinam a customizar, caso seu poder de investimento seja pequeno.

Aqui você encontra temas gratuitos para você baixar e instalar no seu servidor.

5 – Faça um planejamento de conteúdo
Com um tema bonito e um servidor otimizado, chegou a hora de pensar no conteúdo do seu blog.

Conteúdo é a alma do negócio e é preciso que suas pautas sejam instigantes, completas e que façam sentido para a sua audiência.

É preciso estabelecer um nicho que você quer trabalhar e saber com clareza para quem você quer falar.

Com essa informação em mãos, é hora de pesquisar:

Usar ferramentas de pesquisa de palavras chaves como a do Google Adwords ou a do SEMRush pode te dar bons insights sobre pautas e temas para trabalhar.

Elas informam o que as pessoas dentro daquele nicho buscam. É valioso escrever a partir daí tanto para ser encontrado no Google, quanto para entender as necessidades da sua audiência.

Depois, é preciso trabalhar o planejamento e a frequência que você vai publicar.

Seja diário ou semanal, o importante é manter um ritmo de atualizações e nunca deixar desatualizado por muito tempo.

Frequência e qualidade de conteúdo são essenciais para o sucesso de um blog.

6 – Crie um plano de divulgação do seu conteúdo
Um conteúdo bem feito precisa ser facilmente encontrado. Para isso, não poupe esforços: redes sociais e até anúncios pagos podem ser úteis para você começar a formar uma audiência.

A dica aqui é você entender a sua audiência. Onde ela está? No Facebook? No LinkedIn? Twitter? Como chegar até ela?

Tanto para Facebook e LinkedIn você precisa ir além de divulgar seu conteúdo nos seus perfis de redes sociais. Busque por grupos onde a sua audiência se concentre e, educadamente, divulgue seu conteúdo por lá.

No Twitter você pode usar a busca para entender o que determinado tipo de audiência fala sobre o tema que você trabalha. Você pode aproveitar isso também para gerar novas pautas.

Se seu conteúdo for bom e ajudar efetivamente as pessoas, ele será lido e você vai ser bem sucedido em formar uma audiência importante.

7 – Otimize seu site para mecanismos de busca
Trabalhar corretamente o SEO (Search Engine Optimization) vai ajudar (e muito!) que seu conteúdo seja encontrado. A principal vantagem aqui é que você não vai precisar investir em anúncios.

A primeira coisa que você precisa se concentrar é em escrever conteúdos com base no que as pessoas do seu nincho pesquisam no Google. Você pode usar o SEMRush e o planejador de Palavras Chaves do Google Adwords para descobrir quais palavras são essas e qual volume de pesquisa.

Este texto vai te ajudar em como encontrar as melhores palavras chaves para o seu negócio.

Para otimizar seu site, você vai pecisar pensar no SEO On Page, a otimização que você faz dentro da sua própria página, e o SEO Off Page, a otimização utilizando fatores externos à ela.

Uma ferramenta que vai te ajudar muito na otimização On Page é o plugin YOAST SEO. O plugin vem com um check list sobre se os elementos da página que precisam ser otimizados.

A outra dica é cadastrar o site no Google Search Console (antigo Google Webmaster Tools). Ao fazer o cadastro e enviar um sitemap para o sistema, você avisa ao mecanismo de busca sobre a estrutura do seu site, além de ter um controle sobre como as pessoas te encontram na pesquisa do Google.

Não se preocupe: o YOAST SEO é gratuito e gera o sitemap automaticamente. Basta copiar o link gerado pelo plugin e cadastrá-lo no Google Search Console.

Já no SEO Off Page você precisa se concentrar em gerar links que apontem para o seu site.

Aqui vale pesquisar outros blogs e sites do seu nincho e sugerir uma troca de links, ou até enviar conteúdo para eles (Guest Post) em troca do link para o seu domínio.

Isso é muito importante e fará com que o ranqueamento da sua página melhore.

8 – Elabore um plano de negócios
A diferença entre um blog rentável para aquele que não é, está na definição dos nichos que você vai trabalhar e no tipo de produto que você quer vender.

Um blog pode ser rentabilizado de duas formas: através de publicidade paga ou por meio da venda de produtos relacionados.

Para conseguir faturamento por meio da publicidade, é preciso criar uma rede de influência poderosa, além de se ter um bom número de acessos. É algo que demanda tempo e um planejamento de conteúdo muito bem feito.

Para começar a entrar nesse ramo, o passo inicial é se cadastrar no Google Adsense e entender como ele funciona. O Adsense é a rede de publicidade paga do Google.

Por outro lado, o blog pode ser usado como canal de venda para um determinado produto. Este pode ser um infoproduto (produto digital como um ebook ou um curso online) ou produtos físicos e serviços.

Você precisa criar algo que responde uma necessidade da sua audiência e usar o seu blog como canal de vendas. Se for bem sucedido com isso, é certo que você vai conseguir rentabilizar bem o seu trabalho.

O ideal é mesclar as duas formas de monetização, com um planejamento de negócio bem feito e entender que o dinheiro virá com o tempo.